Colaboradores

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

do tic tac das palavras dela


ela diz que tem pontos que correm atrás dela
que acompanham as falas
as pontas de seus dedos
o contorno de seu corpo marcado por um tic tac qualquer

tic tac que te acompanha nas noites de sono e nas de insônia
tic tac nos silêncios inquietos mas quietos perante algumas presenças
tic tac preso aos andares, apressados, mesmo na pontualidade
pontualidade vem de?
tic tac no peito ofegante, nos passos
algo que marca, que conta, mesmo na ausência de relógios

disse ela que do tic tac da mente não conseguia sair
que do tic tac posto em sua pele não conseguia se soltar
que do tic tac dos cuidados, descuidados, de seus toques não conseguia se aproximar
mas que quando conseguiu quebrar o relógio que vinha...

nada... preciso ir!


Fernanda Moreno

4 comentários:

J. Alex disse...

tic tac consegue me ouvir?
nas descrenças de minha alma impura
no desespero das palavras seguras
droga do tic tac do tempo que acaba
na inconsequência de sentir que minha vida desaba
...
desculpa...me empolguei!!! adorei o ritimo dos tic-tacs, muito bom mesmo!!!

Anônimo disse...

Gostei do seu blog. Parabéns.
http://youtu.be/pnwNNOWrbNI

Josi Egger disse...

Música hemm!!!muito boa poesia também!!

Anônimo disse...

Excelente texto Fê...adorei

Flávia. :O)