Colaboradores

sábado, 11 de agosto de 2007




Dúvida


Que busco entre os lírios e pilares do castelo?
Que busco entre marmitas e andaimes?
Que busco entre olhares e sorrisos, malícias e mal-dizeres?
Que busco no engarrafamento de todos os dias, no quente do asfalto, na gélida moeda do indigente?
Que busco na pureza de crianças, na jovialidade vivida do idoso?
Que busco...
No amor materno?
Na esperança divina?
Que busco nos gestos do canalha, nas palavras bem ditas?
Que busco em livros, músicas e dicionários?
Que busco...
Num telefonema?
Num encontro desmarcado?
Na espera cansada?
Que busco no adiantamento da vida?
Que busco na verdade?
Que busco na mentira?
Na alma?
Que busco no ideal?
Que busco em ilusões?
Que busco em você?

“...dói em mim ver que toda essa procura não tem fim. E o que é que eu procuro afinal? Um sinal, uma porta pro infinito irreal? O que não pode ser dito, afinal? Ser um homem em busca de mais afinal, como estrelas que brilham em paz.”
Lenine- o silêncio das estrelas


Flávia Pereira

4 comentários:

Fer disse...

Lenine para inspirar.

Nanda disse...

buscamos a busca
buscamos o não parar...

sempre,e mais sempre, andar...

Hiro disse...

meu
lindo
foda
gostoso
limpo
cheiroso
amei
amado
busco
suas palavras
pra dizer
....
sempre!

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu