Colaboradores

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

arrebento a porta da frente
tentando escancarar os sentimentos
tentando elucidar os escuros

em meio a desumanização lástimada
nas palavras nas ações
na falta delas

disseminada como se fosse água

homens de poucas palavras
de silêncios de omissões
de tristeza que infiltra nas veias

arrebento a porta do quarto porque
procuro a essência porque
o corpo não tem mais não porque
fico preso na ignorância

arrebento a porta dos fundos
pra escapar pra fugir dos que bebem silêncio
e cospem palavras

silenciar entendimentos
cobrir descobertas

e como faz para semear
entendimentos e descobertas se
se ensurdeceu os ouvidos
se costurou as bocas
se apagou a pele

e que pele é essa?

Fernanda Moreno

3 comentários:

Ana Carolina disse...

Olá, gostei muito do teu blog.
Sigo*
Da uma olhadela no meu e diz-me o que e que achaste!
soocenariodaminhavida.blogspot.com
BJS

Nathy Costa disse...

amei seu blog, vou seguir
aqui esta o meu da uma passada lá bjo!

http://paraneura.blogspot.com/

Ellas disse...

Adorei isso aqui...
Muito bom para eu me inspirar também!!! :)
Beijinhos!