Colaboradores

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Do que vivo

Um contorno
Uma marca no olhar
Um desenho no ar

De linhas curvas ou retas
De pele dita ou pontuada
De tamanho ou leveza

Voz fraca, reta e direta, ou torta e indireta, ou reta e indireta, ou torta e direta,
Ou nada disso

Cada contorno no ar
Cada pele que fica
Cada dizer pontuado por quem se é

Uma profundidade indizível
Uma diversidade apaixonante

Apaixonada
Por ver e sentir
Diversos contornos no ar

Olhares
Vozes
Andares
Ações
Posições
Movimentos
Pensamentos

Modulam o ar por onde passam
Por onde ficam

São seres
São coisas
São contornos no ar

...



Fernanda Moreno

4 comentários:

Thiago Domingues disse...

Fragmentos da existência, permeiam toda poesia...
Sempre muito bom passar por aqui!
\o/

Fernanda Moreno disse...

Sinta-se em casa Thiago!

marinanolasco disse...

nossa adorei a poesia é como fala são seres , são coisas isso q faz as poesias lindas, adoorei :*

Fabriciano Alves disse...

Seguindo o/ ...
mUito bom o blog
segue o link do meu

altoteorsubverviso.blogspot.com

abraços